5 menores jogadores da NBA

Deixe um comentário

5. Nate Robinson (1,75 m)

O armador tem 27 anos e estreou na NBA em 2005, pelo New York Knicks. Ficou cinco temporadas na franquia. Transferiu-se para o Boston Celtics, onde não foi bem. No ano passado, trocou o Leste pelo Oeste, ao assinar com o Oklahoma City Thunder. Para a temporada atual, mudou para o Golden State Warriors. Apesar da altura, já participou do torneio de enterradas do All Star Weekend, pulando por cima do pivô Dwight Howard, de 2,11 m.

 

4. Wataru Misaka (1,70m)

Nascido em 1923, no estado de Utah, esse filho de japoneses jogou apenas uma temporada pelo New York Knicks. Formado em engenharia, acabou escolhendo exercer a profissão depois de um ano como jogador de basquete. História parecida com a do atual fenômeno da NBA, Jeremy Lin.

 

3. Spud Webb (1,70 m)

Anthony Webb estreou na NBA em 1985, pelo Atlanta Hawks. No ano seguinte, apesar de ser o mais baixo dos concorrentes, conquistou o torneio de enterradas do All Star Weekend. Passou pelo Sacramento Kings, pelo Minnesota Timberwolves e pelo basquete italiano. Encerrou a carreira em 1998, no Orlando Magic.

 

2. Earl Boykins (1,65 m)

Estreou na liga em 1999, pelos Nets. Desde então, tem rodado por muitos clubes. Já defendeu Cavs, Magic, Clippers, Warriors, Bucks, Wizards, Bobcats e o Denver Nuggets, onde ficou quatro temporadas. Seu maior feito foi marcar 32 pontos em uma partida contra o Detroit Pistons, em 2004. É o jogador mais baixo a passar da marca de 30 pontos e também o mais leve da história da liga. Atualmente, está em sua segunda passagem pelo Milwaukee Bucks. (Veja sua foto ao lado de Tim Duncan, do San Antonio Spurs)

 

1. Muggsy Bogues (1,60 m)

O menor jogador da história da NBA estreou em 1987, pelo Washington Bullets (hoje Wizards), onde ficou apenas uma temporada. Com a camisa do Charlotte Hornets (atual New Orleans Hornets), tornou-se recordista de roubadas de bola e assistências. Os dois recordes foram quebrados somente em 2007, por Chris Paul. Bogues jogou pelo Golden State Warriors em 1997 e, dois anos depois pelo Toronto Raptors, onde encerrou a carreira. Em 2001, assinou com o New York Knicks e o Dallas Mavericks, mas nunca entrou em quadra por essas equipes.

Anúncios

10 Gols Incríveis Perdidos por 10 Craques

Deixe um comentário

10. Raúl González (Real Madrid)

Kaká recebe na área, ele rola mais atrás para Cristiano Ronaldo. O portuga bate de longe. O goleiro do Xerez mal consegue espalmar. A bola fica na área. Raúl chega. O maior artilheiro da história do Real bate para o gol. Em cima do goleiro!

9. John Terry (Chelsea)

Final da Liga dos Campeões. Disputa de pênalti. Vai Terry fazer a cobrança. Se ele fizer o pênalti, os Blues finalmente venceram o torneio mais importante da Europa. É o capitão do time, chamado pelos torcedores de Mr. Chelsea. A chuva castiga. Lá vai ele. Escorregou… e na trave!

8. Ryan Giggs (Manchester United)

Lançamento de longe para Giggs. Ele domina, passa pelo goleiro David Seaman, corta o zagueiro Sol Campbell. O gol está vazio, livre para ele. E… por cima!

7. Lionel Messi (Barcelona)

Lá vai o argentino. Duas vezes melhor do mundo. Gênio. Para alguns melhor que Maradona. Ele rouba a bola da defesa do Bétis. Arranca. Só o coitado do goleiro na sua frente. Pô, Messi… quis dar um ovinho no goleiro? Exagerou.

6. Romário (Brasil)

Jogo difícil. Brasil com um jogador a menos. Calor demais. Estados Unidos na retranca. Até que Jorginho lança. O americano escorrega. Mazinho toca para Romário. O Baixinho domina, tira o goleiro. De cara para o gol. É só gritar gol, Luciano do Valle! Não foi…

5. Zlatan Ibrahimovic (Barcelona)

Lançamento para Henry, que toca para o centro. Ibracadabra passa por trás do zagueiro. É só tocar para o gol. Mas hein? Definitivamente a temporada do cracaço sueco na Espanha não foi boa.

4. Cristiano Ronaldo (Manchester United)

Wayne Rooney bagunça o adversário na ponta direita. Toca de calcanhar para Ryan Giggs. O camisa 11 dos Diabos Vermelhos cruza rasteiro. Vai, Ronaldo! Tá livre! Faz o gol! Perdeu… 

3. Robert Pires e Thierry Henry (Arsenal)

O Arsenal foi campeão inglês invicto. Ou seja, 38 partidas sem perder. Muito se deve à dupla francesa Pires-Henry. O camisa 7 armava, o 14 finalizava. Bem, só não conseguiram imitar a jogada inventada pelo Ajax de Cruijff… pênaltis não devem ser batidos em dupla, ok?

2. David Villa (Espanha)

Capdevilla pega a bola na área. Olha para a área. Capricha no cruzamento. Llorente briga com o zagueiro, cabeceia para o gol. Defesaça do goleiro da Lituânia. Villa corre para pegar o rebote. O goleiro ainda está no chão. É só comemorar. E… na trave!

1. Carlos Tevez (Manchester City)

Grande jogada de Yaya Touré. O volante se livra da marcação e toca para Tevez. O goleiro está mais preocupado em pedir impedimento do que em defender a bola. O gol está vazio. Olho no lance… Minha Nossa Senhora! O que eu vou dizer lá em casa, Tevez?

9 Ideias Horríveis de Elaine Benes

Deixe um comentário

9. ‘Aquilo’ sem afetar ‘isso’

Essa ideia foi em conjunto com Jerry. Os dois achavam que eram ótimos amigos e tentaram inventar uma maneira de fazer “aquilo” sem afetar “isso”. As regras eram simples a princípio, mas nenhum dos dois conseguiu cumpri-las.

8. Vender topos de muffins

Se o topo do muffin é mais gostoso que a base, então só o topo devia ser vendido. A grande ideia de Elaine seria um grande sucesso, mas jogar fora as bases dos muffins se mostrou uma missão praticamente impossível. Quanto mais topos vendia, mais problemas o negócio enfrentava.

7. Achar um emprego para George

George estava desempregado, após perder o emprego de corretor de imóveis. Aí Elaine encontrou um emprego para ele na Pendant. Mas ele ficou poucos dias de serviço: foi demitido por transar com a faxineira dentro do escritório.

6. Sombreiro urbano

Quando já trabalhava na grife J. Peterman, o dono da empresa (que dá o nome à marca) viajou para Burma, atual Myanmar. Elaine ficou responsável por todo o catálogo e colocou o chapéu gigante na capa.

5. Usar o endereço dos pais de Jerry

Elaine mentiu para a editora Viking, durante uma seleção de emprego. Para ficar hospedada de graça no hotel Plaza, ela disse que morava na Flórida. Assim, o original de um autor russo foi para a casa dos Seinfeld, que enviaram a Jerry, que tinha dedetizado o apartamento. E Elaine teve que confiar em Kramer, o único que leu o manuscrito.

4. Dar um sutiã de presente

Uma das amigas que Elaine tem e odeia é Sue Ellen Mischke, uma herdeira de uma fábrica de chocolate. Irritada porque a mulher nunca usava sutiã, e da atenção extra que ela ganhava dos homens, Elaine dá um para a “amiga”, para a mulher se tocar. Mas Sue Ellen passa a usar o sutiã como se fosse um top, atraindo ainda mais olhares.

3. Produzir um cartão de Natal com Kramer

A foto de Kramer teria ficado ótima, se não fosse por um detalhe: um dos mamilos de Elaine estava à mostra. Ela mandou o cartão, sem olhar, para todos os seus conhecidos. E passou a ser chamada no trabalho de Mami.

2. Dançar na festa da empresa

Elaine tem múltiplas habilidades. Dançar não é uma delas. Com seus chutes no ar e dedões para o alto, ela perdeu o respeito de todos os redatores do catálogo da J. Peterman. Depois, ao descobrir que dançava mal, ela se filma e acaba acidentalmente na versão pirata de um filme de comédia.

1. Comer jujubas

Ao saber do acidente de seu namorado do episódio, Jake, Elaine antes compra jujubas. O cara descobre e termina com ela. Depois, com jujubas demais na boca, Elaine não consegue avisar o Sr. Lippman, seu chefe, que ele esqueceu o lenço. Resfriado, ele espirrou, limpou com a mão e não apertou a mão do investidor japonês que salvaria a Pendant. Elaine ficou desempregada e sozinha: “I’m George!”

10 Palavras ou Expressões de Origens Curiosas

Deixe um comentário

1. À beça

Originalmente escrita “à bessa”, a expressão vem da fama de argumentador do jurista Gumercindo Bessa, advogado dos acreanos que não queriam que o território fosse incorporado ao Amazonas. Rui Barbosa estava na ação oposta, defendendo a unificação dos dois estados. Bessa apresentou argumentos tão relevantes que se tornou respeitável no meio. Assim, começou-se a usar a expressão “à Bessa” (à moda do Bessa), que com o tempo perdeu a maiúscula e teve mudada sua ortografia.

2. Melindrosa

É bastante conhecido o vestidinho de cintura baixa e longas franjas em festas à fantasia ou de época. Mas a origem do termo vem da canção “Mimosa”, de Leopoldo Fróes, cuja passagem “Mimosa! Mimosa! És tão bonita e melindrosa! Tens o encanto de uma rosa! Mimosa!” ficou tão popular que passou-se a chamar “melindrosa” as mulheres que andavam sempre arrumadas e na moda nos anos 1920.

3. Dia D

O Dia D mais famoso da História se deu em 6 de junho de 1944, data do desembarque das forças norte-americanas na praia da Normandia, na França, a fim de livrar a Europa da ocupação nazista na Segunda Guerra Mundial. É conhecido como o dia crucial, a data de realização do evento após a aprovação final pelos militares. No jargão militar leva em consideração tanto os preparativos para o início da operação  quanto as consequências. Como é difícil e inseguro divulgar uma data específica para colocar os planos em prática, o termo “Dia D” acabou ganhando popularidade no meio militar e, por isso, outras operações ganharam letras diferentes.

4. Almofadinha

Sinônimo de janota, o termo é usado para designar rapazes que se vestem afetadamente. Antigamente, era o nome dado aos jovens elegantes que usavam paletós acintados e calças de boca estreita logo após a Primeira Guerra. No entanto, a expressão só foi ganhar popularidade quando surgiu um concurso em Petrópolis no qual ganhava o rapaz (geralmente efeminado) que bordasse e pintasse a mais bela… almofada.

5. Sair o tiro pela culatra

A expressão significa que algo saiu do contrário que se planejava. Na gíria dos soldados, culatra é o bolso traseiro da calça, ou as próprias nádegas, onde às vezes carregavam a arma.

6. Don Juan

Difícil saber a verdadeira história do personagem Don Juan devido às diversas adaptações. A lenda mais conhecida descreve Don Juan como um sedutor que estuprou e matou uma jovem de classe nobre na Espanha e também assassinou seu pai. No cemitério, encontrou a estátua do pai e convidou-a para um jantar. Quando ela o cumprimentou, acabou sendo arrastado para o inferno. Hoje, ser um Don Juan é o mesmo que ser um conquistador, um libertino — e pode tanto ser um elogio quanto uma crítica.

7. Figurinha difícil

Pessoa difícil de ser encontrada, reclusa ou intempestiva. A origem da expressão vem dos prêmios oferecidos em bombons, brinquedos etc. dirigidos principalmente ao público infantil, a fim de completar álbuns de figuras. Para forçar a venda, algumas figurinhas raramente apareciam, enquanto as demais se repetem bastante (daí também a expressão “figurinha fácil”).

8. Amigo da onça

É o amigo traidor, inconveniente ou maldoso. A expressão nasce da história de um caçador mentiroso, que, acuado por uma onça, sem meios de fugir ou de se defender, deu um grito tão alto que o bicho fugiu, com medo. No entanto, um amigo que ouvia a história contada diz que aquilo era impossível de ter acontecido e que certamente o caçador seria devorado, ao que o mentiroso pergunta: “Afinal, você é meu amigo ou amigo da onça?”

9. Tintim por tintim

Não confundir com tim-tim, a expressão que saúda algum desejo ou evento no bater de taças. Antiga expressão portuguesa, significa pagar moeda por moeda, nem a mais nem a menos — “tim” é o som que as moedas fazem no bolso ao bater umas nas outras.

10.  Tomar uma xumbrega

Ou ficar embriagado, como é mais comum. A expressão vem do nome do soldado mercenário Friedrich Hermann von Schomberg, que depois virou o Duque de Schomberg, com direito a assento na Câmara dos Lordes na Inglaterra. Como era beberrão, passou-se a dizer que “tomavam uma Schomberg”, e por deturpação uma xumbrega, os que bebiam demais. Em Lisboa, os bigodes aparados a tesoura foram também chamados “chumberga”, à moda de von Schomberg.

6 Listas Apresentadas em Filmes

Deixe um comentário



Clube da Luta

As 8 regras do Clube da Luta eram:

1. Você não deve falar do Clube da Luta.

2. Você NÃO deve falar do Clube da Luta.

3. Se alguém grita “para”, a luta acaba.

4. Somente dois homens por luta.

5. Uma luta de cada vez.

6. Sem camisa, sem sapatos.

7. As lutas durarão o tempo que tiverem que durar.

8. Se for a sua primeira noite no Clube da Luta, você tem que lutar.

Zumbilândia

As regras de sobrevivência de Columbus eram:

1. Preparo físico.

2. Cuidado com os banheiros.

3. Cinto de segurança.

4. Dê sempre dois tiros.

6. Frigideiras de ferro. (Aparece nos extras do DVD)

7. Viaje com pouco peso. (Também do DVD)

12. Toalhas de papel. (Outra do DVD)

15. Bolas de boliche. (DVD)

17. Não seja um herói.

18. Faça alongamentos.

22. Quando ficar em dúvida, conheça sua rota de fuga.

29. Sistema de parceiros. (Do DVD)

31. Verifique o banco de trás.

32. Aproveite as pequenas coisas.

33.   Canivetes do exército suíço. (DVD)

Antes de partir

A lista de coisas a fazer de Carter e Edward era:

1. Saltar de paraquedas.

2. Escalar uma das pirâmides do Egito.

3. Dirigir um Mustang em Indianápolis.

4. Sobrevoar o Polo Norte.

5. Jantar no Chevre D’Or, na França.

6. Conhecer o Taj Mahal.

7. Andar de moto na Grande Muralha da China.

8. Fazer um safári.

9. Rir até chorar.

10. Beijar a garota mais bonita do mundo.

11. Ajudar um estranho.

12. Testemunhar algo realmente majestoso.

Scott Pilgrim contra o Mundo

Os membros da Liga dos Ex do Mal eram:

1. Patel

2. Lucas Lee

3. Todd Ingram

4. Roxy Richter

5. Kyle Katanayagi

6. Ken Katanayagi

7. Gideon

Rebobine por Favor

Os filmes “suecados” na locadora foram:

1. 2001 – Uma Odisseia no Espaço

2. A Hora do Rush 2

3. A Ilha do Dr. Moreau

4. Além dos Limites

5. Boogie Nights – Prazer sem Limites

6. Carrie, a Estranha

7. Conduzindo Miss Daisy

8. Homens de Preto

9. King Kong

10. Nada de Novo no Front

11. O Mensageiro

12. O Rei Leão

13. Os Caça-Fantasmas

14. Os Donos da Rua

15. Os Guarda-Chuvas do Amor

16. Quando Éramos Reis

17. Robocop

18. Soul Plane

19. Último Tango em Paris

20. Uma Mente Brilhante

21. Xing xing wang

10 Coisas que Eu Odeio em Você

Tudo que Kat odiava em Patrick era:

1. Eu odeio como você fala comigo.

2. E como você corta o cabelo.

3. Eu odeio como você dirige meu carro.

4. Eu odeio quando você me encara.

5. Eu odeio as suas botas idiotas de militar.

6. E como você lê a minha mente.

7. Eu odeio – eu odeio como você está sempre certo.

8. Eu odeio quando você mente.

9. Eu odeio quando você me faz rir.

10. Ainda mais quando você me faz chorar.

10 filmes para celebrar o Natal

4 Comentários

10. Um Duende em Nova York (Elf, 2003)

Buddy (Will Ferrell) é um humano criado no Pólo Norte que se transforma em um elfo. Depois de se revoltar contra a comunidade onde vive, vai a Nova York para tentar encontrar seu lugar no mundo e também seu pai (James Caan). O encontro acontece, mas Buddy vê que seu pai é avarento e pior: seu irmão adotivo não acredita em Papai Noel.

9. O Expresso Polar (The Polar Express, 2003)

Um garoto acredita em Papai Noel, apesar de seus amigos dizerem que o bom velhinho não passa de uma lenda. Na noite de Natal, o menino embarca com seus amigos rumo ao Pólo Norte para provar que o velhinho realmente existe.

8. Papai Noel às Avessas (Bad Santa, 2003)

Em dezembro, dois trapaceiros vão à um shopping center vestidos de Papai Noel e duende. Melhor que espalhar a alegria do espírito de Natal, o objetivo da dupla é assaltar todas as lojas. Isso começa a ficar complicado quando eles encontram uma criança de oito anos, que ensina a eles o verdadeiro significado da data festiva.

7. Feliz Natal (Joyeux Noël, 2005)

Quando estoura a Primeira Guerra Mundial, no verão de 1914, milhões de homens são pegos de surpresa e levados ao front do conflito. Na noite de Natal, os soldados saem de suas trincheiras e deixam para trás seus rifles para confraternizar com o inimigo.

6. Simplesmente Amor (Love actually, 2003)

Há poucas semanas do Natal, cruzam-se em Londres as vidas do novo primeiro-ministro inglês (Hugh Grant), de um escritor desiludido com o amor (Colin Firth), de uma mulher casada (Emma Thompson) que duvida da fidelidade do marido (Alan Rickman), da recém-casada (Keira Knightley) que suspeita dos sentimentos do melhor amigo do marido (Andrew Lincoln) por ele, de um menino (Thomas Sangster) que deseja chamar a atenção da garota mais inatingível da escola, de um viúvo (Liam Neeson) que tenta se relacionar com o enteado (Thomas Sangster) que mal conhece, da americana (Laura Linney) que há muito tempo espera uma chance de sair com o colega de trabalho (Rodrigo Santoro) por quem é perdida e silenciosamente apaixonada e do astro do rock (Bill Nighy) que, em fim de carreira, tenta um retorno ao palco de um jeito bem descompromissado.

5. Esqueceram de Mim (Home alone, 1990)

Na véspera do Natal, a familia McAllister viaja para a França em busca de férias tranquilas, mas acabam esquecendo do caçula de oito anos, Kevin (Macauly Culkin), sozinho dentro de casa em Chicago. O garoto faz tudo que lhe proíbem e enfrenta uma dupla de ladões que tenta invadir sua casa a qualquer custo.

4. O Grinch (The Grinch/Dr. Seuss’ How the Grinch stole the Christmas, 2000)

O Grinch (Jim Carrey) é uma criatura verde e mesquinha que odeia o espírito de Natal. Ele pretende estragar a festa dos moradores de Quem-lândia roubando presentes e enfeites com a ajuda de seu cãozinho Max. Ao mesmo tempo, a pequena Cindy Lou Quem (Taylor Momsen), moradora de Quem-lândia, observa as pessoas pensando apenas em compras, presentes e enfeites e quer saber o significado do Natal. Os caminhos de Cindy Lou e do Grinch se cruzarão e, juntos, conhecerão o verdadeiro espírito do Natal.

3. Milagre na Rua 34 (Miracle on 34th Street, 1947)

A época natalina torna-se cheia de encanto quando um cavalheiro muito bem educado, de olhos brilhantes, com uma “ampla” barriga e barba branquinha (Edmund Gwenn) é contratado como Papai Noel pela loja de departamentos Macy’s. Ele alega que seu nome é Kris Kringle, e logo contagia a todos com o espírito do Natal, exceto sua chefe, Doris Walker (Maureen O’Hara), que ensina sua filha Susan (Natalie Wood) a não acreditar em Papai Noel. Mas quando Kris é declarado louco e enviado a julgamento, a fé de todos é colocada em teste, pois tanto jovens, quanto idosos enfrentam a antiga pergunta: você acredita em Papai Noel?

2. O Estranho Mundo de Jack (The nightmare before Christmas, 1993)

Jack Skellington é o rei das abóboras em Halloweentown, uma cidade onde todos os moradores têm a função de assustar os humanos durante a festa do dia das bruxas. Jack é bom nisso, mas não vê mais graça em seu trabalho. Um dia ele entra em uma floresta onde todas as árvores são portas para reinos que servem a alguma festividade dos humanos. Ele decide entrar, então, no reino do Natal. Jack fica espantado com tanta bondade e arma um plano: raptar o Papai Noel e fazer um Natal a seu gosto. Mas na cidade de Halloweentown há quem se oponha ao plano, dificultando as coisas.

1. A Felicidade Não Se Compra (It’s a wonderful life, 1946)

O pai de família George Bailey (James Stewart) sempre abriu mão de seus sonhos para ajudar sua cidade, Bedford Falls. Mas agora, na véspera de Natal, sente-se fracassado, tem uma grande dívida e pode ser preso. Desesperado, decide se suicidar, mas seu anjo da guarda vem à Terra para fazer com que ele mude de ideia. Para isso, o anjo mostra a George sua família, seus amigos, sua cidade, e como tudo seria diferente se ele não tivesse nascido. George, então, percebe o quanto foi e é importante na vida de muitas pessoas.

37 Detalhes para se Perceber no Clipe de “Free As a Bird”, dos Beatles

1 Comentário

00:01
O recurso do barulho das asas do pássaro é comum na carreira dos Beatles. Também ouvido em outras canções da banda, como “Flying”, “And Your Bird Can Sing”, “Norwegian Wood” e “Blackbird”.

00:05
Em cima da lareira foto dos quatro fantásticos quando crianças; um sapato marrom está na frente de uma delas (referência à canção “Old Brown Shoe”).

00:21
A janela aberta faz o sol entrar… “Here Comes the Sun”!

00:26
Vê-se o rio Mersey, que passa pelo condado de Merseyside onde fica Liverpool, e o Royal Liver Buildings, em que há as estátuas de dois livebirds (considerado o símbolo da cidade): um deles aponta para o mar, o outro, para a cidade.

00:32
Os quatro passam pelos trabalhadores que voltam das docas de Liverpool, um dos maiores portos da Grã-Bretanha.

00:46
Na entrada do Cavern Club (dispensa explicações, não?), um segurança impede a entrada da multidão — repare o seu corte à escovinha, que, em inglês, é “flat-top” e aparece na letra de “Come Together” .

00:53
O começo de tudo: o sucesso dos Quarrymen, depois os Beatles, lotava o Cavern.

00:59
Na saída, vemos uma fã que olha para dentro: ela se parece MUITO com Linda McCartney, primeira esposa de Paul.

01:04
John Lennon morava com a tia Mimi e o tio George na rua paralela ao parque Strawberry Fields, onde brincava e curtia as quermesses promovidas pelo Exército da Salvação.

01:19
Crianças passam correndo (See how they run! de “Lady Madonna”) de mãos dadas (“I Wanna Hold Your Hand”). Em segundo plano, vemos o carro preto do Eggman (“I Am the Walrus”). Em cima do carro, vê-se escrito numa placa: “Ringo”.

01:21
Paul, George e Ringo atravessam a rua de preto e o carro do Eggman parece ser um rabecão: parecem voltar do funeral de John Lennon.

01:32
Uma barraca de frutas e verduras de feira em segundo plano: “a barrow in the market place”… Ob-la-di, ob-la-da!

01:34
“Pretty nurse is selling poppies from a tray”… A linda enfermeira olha diretamente para o pássaro/espectador. Referência a “Penny Lane”.

01:40
Cavalheiros bem-vestidos falam com o barbeiro e ao lado há a Penny Lane’s Bakery. Tudo isso se passa na Penny Lane Street, em Liverpool, onde John e Paul costumavam pegar o ônibus para o Centro da cidade.

01:55
Os quatro estão reunidos em frente a uma loja que exibe na vitrine as colagens usadas para as capas das coletâneas Beatles Anthology, em que “Free As a Bird” é a única inédita.

02:02
A Penny Lane’s Bakery exibe um bolo em que se lê “Happy Birthday 64” (referência a “When I’m Sixty-Four”).

02:11
George entra disfarçado no consultório do “Dr. Robert”, que John Lennon já afirmou ser ele mesmo.

02:23
Um acidente de carro chama a atenção da multidão e de John, que está junto às outras pessoas. A cena remete claramente à letra de “A Day in the Life”. A música foi gravada em 1967 e é uma junção de duas composições: Lennon tinha o início e o fim, enquanto McCartney tinha o meio. A inspiração inicial foi o acidente fatal sofrido por Tara Browne, de apenas 25 anos, relatado no jornal londrino Daily Mail. Alguns versos remetem a transes, hipnose, alguns efeitos produzidos pelo uso frequente de drogas. John e Paul estavam no auge do uso de LSD. Alguns veem ligação com o acidente sofrido por Paul em 1966, que ocasionou diversas teorias sobre a morte do beatle.

02:23
Essa eu acho forçação de barra demais, mas vamos lá: na placa do carro em primeiro plano, lê-se YFE7, em inglês: “WIFE7”. Ou seja, sete esposas: Cynthia e Yoko, de John; Patti Boyd e Olivia, de George; Maureen e Barbara Bach, de Ringo; e Linda, de Paul (ele ainda não tinha se casado com Heather Mills).

02:37
A pipa no céu refere-se a “For the Benefit of Mr. Kite”.

02:41
Rapidamente vê-se do lado esquerdo da tela uma perna acabando de entrar pela janela. Deve ser a perna da dançarina da música “She Came in Through the Bathroom Window”.

02:44
No jardim da mesma casa, há um girassol “inacreditavelmente alto”. Referência aos versos de “Lucy in th Sky of Diamonds”: “Cellophane flowers of yellow and green / Towering over your head // Everyone smiles as you drift past the flowers / That grows so incredibly high”.

02:50
Garoto com cabeça de porco… “See how they run like pigs from a gun…” (“I Am the Walrus”) Também pode se referir à palavra “Pigs” que membros da Família Manson escreveram na porta de suas vítimas. Charles Manson dizia-se inspirado pela música “Helter Skelter”, dos Beatles.

02:56
Um escritor trabalhando freneticamente. Como não lembrar “Paperback Writer”?

03:06
Nesta cena várias referências: John Lennon sentado na cadeira; os Beatles no Ed Sullivan Show, passando na TV; maças verdes na mesa (símbolo da Apple, principal gravadora dos Beatles); o jornal noticia os “4.000 holes found in Blackburn, Lancashire”, verso de “A Day in the Life”; um retrato da Rainha no chão, embaixo da janela

03:11
O personagem Blue Man do filme Yellow Submarine, lançado em 1968, se esconde no buraco do telhado da casa.

03:22
Logo de cara vemos um “newspaper taxi” (referência ao verso “Newspaper taxis appear on the floor”, de “Lucy in the Sky of Diamonds”). Atrás, o homenzinho azul sai do bueiro, e atrás dele alguém carrega o quadro de Mao Tsé-Tung, como diz os últimos versos de “Revolution”: “But if you go carrying pictures of Chairman Mao / You ain’t going to make it with anyone anyhow”. Em primeiro plano John  e Yoko dançam “the Ballad of John and Yoko”.

03:24
Lá no fundo passa o ônibus de “Magycal Mystery Tour”.

03:39
Indianos e um elefante remetem à influência da cultura indiana na música dos Beatles. Ravi Shankar toca um ukelele.

03:47
Várias personalidades políticas, culturais e sociais estão na festa, inclusive Brian Epstein, o empresário que descobriu o quarteto de Liverpool. Todos interagem com a capa mais aclamada do álbum mais aclamado de todos os tempos: Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (1967).

03:55
No cemitério um estátua de Maria — a Mother Mary  de “Let It Be”.

03:58
Como não poderia faltar: a lápide de Eleanor Rigby, a personagem principal da canção homônima que faz uma reflexão sobre a solidão das pessoas mais velhas. Em 1982 foi esculpida uma estátua  de uma idosa solitária, em Liverpool, em homenagem à música.

04:00
O padre McKenzie retorna do enterro de Eleanor Rigby (“Eleanor Rigby died in the church and was buried / along with her name / Nobody came / Father McKenzie wiping the dirt from his hands / as he walks from the grave / No one was saved”). A cadela Martha, da raça sheepdog, pertencente a Paul, passa correndo.

04:05
George pulando como um maluco (“The Fool on the Hill”). Garota caminha com uma mala na contramão dos carros (“She’s leaving home”),  deixando pra trás uma estrada longa e sinuosa (“The Long and Winding Road”).

04:19
A Abbey Road logo antes de John, Ringo, Paul e George atravessarem a rua. Repare que na capa do álbum dá pra ver o carro passando ao fundo.

04:29
Cenas do filme A Hard Day’s Night (ou, no Brasil, Os Reis do Iê Iê Iê), lançado em 1964.

04:37
Um cantor toca um ukelele, instrumento muito usado pelos Beatles, para uma plateia no que talvez seja o Liverpool Empire Theatre. Ele é descrito por muitos como George Formby, um famoso comediante a ator nascido em Lancashire que costumava tocar ukelele em suas apresentações. O mais bizarro é que ele parece dizer “John Lennon” antes de a música acabar.

Older Entries